NOTÍCIAS

Futura Trends

Prepare-se para o futuro

Inteligência artificial, Robótica, Internet das Coisas, Biotecnologia... Os produtos da chamada Quarta Revolução Industrial trazem mudanças profundas na cadeia do trabalho. Do presidente da empresa ao empregado, é preciso se preparar. Esse é o tema do Seminário Futura Trends 2018, que irá ocorrer sexta-feira, 10, no Teatro RioMar Fortaleza, realizado pela Fundação Demócrito Rocha (FDR) e o Grupo de Comunicação O POVO, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC). A programação inicia às 13h50min com a palestra de honra do economista indiano Subramanian Rangan e termina às 19h.

 

Com base na experiência profissional em universidades, empresas e grupos de estudos, os palestrantes fazem suas previsões que são cada vez mais próximas e concretas. "Na opinião dos especialistas, os efeitos mais devastadores da Quarta Revolução Industrial vão se dar sobre o trabalho das pessoas. Outra questão importante é o fim de centenas de competências e o surgimento de novas", destaca Nazareno Albuquerque, organizador do seminário.

O Seminário emite certificados e os participantes poderão conhecer livros e lançamentos, inclusive com autógrafo dos autores palestrantes. "O Seminário Futura Trends vem a cada ano tornando-se calendário obrigatório na formação e desenvolvimento dos profissionais nordestinos", ressalta Nazareno.

O POP Empregos e Carreiras conversou com alguns dos principais palestrantes do Futura Trends.

Paulo Vicente dos Santos
O professor da Fundação Dom Cabral Paulo Vicente dos Santos traz ao Futura Trends palestra sobre a Revolução Tecnológica, baseada na análise dos Ciclos de Kondratiev. Além disso, são temas: as tecnologias 4.0, novas fontes de energia e Human Enhancement Technologies (HET).

Paulo comenta como as empresas vão sofrer em um futuro de tantas mudanças. "Há empresas que vão sumir, mercados inteiros vão sumir, enquanto outros vão surgir. O petróleo vai ter dificuldade, enquanto a energia solar vai aumentar a importância. A manufatura vai mudar, os seguros, a medicina vai deixar de ser curativa para se tornar regenerativa", diz.

O professor destaca portanto cinco eixos tecnológicos dessa revolução: Indústria 4.0, transformação digital, novas fontes de energia (particularmente a solar), corrida espacial e biotecnologia.

Regiane Relva Romano

"A maior revolução que a humanidade já passou até agora", define Regiane Relva Romano, professora da FGV Management, da Fundação Instituto de Administração, da Fundação Dom Cabral e da USP. Ela traz ao Futura Trends a visão sobre interatividade, entretenimento, mobilidade, impressão 3D e analytics.

"A Revolução 4.0 fará com que todos os empregos precisem ser revistos. As faculdades vão mudar a forma de treinar e as pessoas de se preparar o mercado. As empresas vão começar a se repensar, enxergar onde o produto consegue ser virtualizado e vendido", diz.

Segundo ela, há uma novo perfil de consumidor que movimenta essa mudança, nativos digitais que exigem personalização e autenticidade, não toleram mentiras e querem colaborar e construir junto a marca. "A preocupação com o meio ambiente, com a saúde, a qualidade de vida. Não é mais o 'ter', é o 'ser'", afirma.

A professora destaca que algumas áreas serão mais propícias a ter vagas de emprego como programação, ciência de dados, big data e inteligência artificial. "A tecnologia vai ser a segunda língua, assim como o inglês é básico para relações. Aprender Tecnologia da Informação é sobrevivência."

Subramanian Rangan

Subi Rangan, como é chamado o economista indiano, vem ao Futura Trends com palestra sobre o papel do líder na Era Digital, traz questões atuais da relação humanidade e tecnologia e caracteriza a Liderança 3D. Subi é PhD em Economia Política pela Universidade de Harvard e tem MBA em Negócios pela MIT Sloan School of Management. Atualmente é membro do Conselho Curador e professor associado da Fundação Dom Cabral na área de Estratégia.

 

 

 

 

Cesar Sanson

Cesar Sanson é professor e chefe do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Ele vem caracterizar o que é Revolução 4.0, as principais particularidades e os impactos na sociedade do trabalho. Segundo ele, algumas manifestações como a inteligência artificial, a Internet das Coisas e a Robótica vêm movimentando os postos de emprego, a economia e o comércio.

"A revolução 4.0 significa uma mudança de patamar significativo de processo produtivo. Ela tem uma tendência acentuada de eliminação de postos de trabalho. A gente está assistindo a uma substituição crescente de mão de obra por esses novos procedimentos. Uma perspectiva de reestruturação da sociedade", destaca Sanson.

Segundo ele, está ocorrendo uma fragmentação de trabalhadores em três categorias: os "incluídos", trabalhadores de empresas globais, os "semi incluídos", os que trabalham nos serviços com contrato de trabalho terceirizado, contratados por empresas com número de funcionários reduzidos e mais qualificados, e os "excluídos", que não vão acessar a formalidade de trabalho. "A saída é cada vez mais se qualificar, estudar mais. Não basta ter uma graduação, por exemplo. A matéria-prima é o conhecimento", completa.

Sanson é coordenador do Grupo de Pesquisa Estado, Trabalho e Sociedade - GETES/UFRN e coordenador do Curso de Ciências Sociais (Pronera/Incra/UFRN). É mestre e doutor na área da sociologia do trabalho pela UFPR.

Outros palestrantes

Miguel Fonseca - Vice-presidente executivo da Toyota do Brasil e coordenador de vendas para a América Latina e Caribe.

Joana Ramalho - Diretora de Marketing dos Mercadinhos São Luiz.

Ari de Sá Neto - CEO da Arco Educação.

Prof. Marilia Marinho - Coordenadora dos Cursos de Graduação e Pesquisa na Faculdade CDL.

Valdemar Barros - Diretor da Barros Soluções em Gestão.

Seminário Futura Trends

Data: 10 de agosto

Horário: De 13h às 19h30min

Local: Teatro RioMar Fortaleza (Rua Des. Lauro Nogueira, 1500 - Papicu)

Valor: R$ 1.100

Inscrições e mais informações: seminariofuturatrends.com.br

 

Texto: Luan Carvalho